Demissão de diretor da empresa

Às vezes acontece que um diretor de uma empresa é demitido. A maneira como a demissão do diretor pode ocorrer depende de sua posição legal. Dois tipos de diretores podem ser distinguidos dentro de uma empresa: diretores estatutários e titulares.

A distinção

A diretor estatutário tem uma posição legal especial dentro de uma empresa. Por um lado, ele é um diretor oficial da empresa, nomeado pela Assembléia Geral de Acionistas ou pelo Conselho Fiscal com base na lei ou nos estatutos e está autorizado como tal a representar a empresa. Por outro lado, ele é apontado como funcionário da empresa com base em um contrato de trabalho. Um diretor estatutário é empregado pela empresa, mas ele não é um funcionário "normal".

Demissão de diretor da empresa

Ao contrário do diretor estatutário, um diretor titular não é um diretor oficial da empresa e ele é apenas um diretor, porque esse é o nome de seu cargo. Muitas vezes, um diretor titular também é chamado de "gerente" ou "vice-presidente". Um diretor titular não é indicado pela Assembléia Geral de Acionistas ou pelo Conselho Fiscal e ele não está automaticamente autorizado a representar a empresa. Ele pode ser autorizado para isso. Um diretor titular é nomeado pelo empregador e, portanto, um funcionário "comum" da empresa.

Método de demissão

Para uma diretor estatutário para ser demitido legalmente, sua relação corporativa e de emprego deve ser encerrada.

Para o término do relacionamento corporativo, uma decisão legalmente válida pela Assembléia Geral de Acionistas ou pelo Conselho Fiscal é suficiente. Afinal, em virtude da lei, todo diretor estatutário sempre pode ser suspenso e demitido por uma entidade autorizada a nomear. Antes da demissão do diretor, um conselho deve ser solicitado ao Conselho de Empresa. Além disso, a empresa deve ter uma base razoável de demissão, como um motivo econômico-comercial que torne a posição redundante, uma relação de trabalho interrompida com os acionistas ou a incapacidade do diretor de trabalhar. Por fim, os seguintes requisitos formais devem ser seguidos no caso de destituição de acordo com a legislação societária: a convocação válida da Assembléia Geral de Acionistas, a possibilidade de um conselheiro ser ouvido pela Assembléia Geral de Acionistas e aconselhar a Assembléia Geral de Acionistas sobre a decisão de demissão.

Para o término do vínculo empregatício, uma empresa normalmente deve ter um fundamento razoável para demissão e a UWV ou o tribunal determinarão se esse fundamento razoável está presente. Somente então o empregador pode rescindir legalmente o contrato de trabalho com o empregado. No entanto, uma exceção a esse procedimento se aplica a um diretor estatutário. Embora seja necessário um fundamento razoável para a demissão do diretor estatutário, o teste preventivo de demissão não se aplica. Portanto, o ponto de partida em relação ao diretor estatutário é que, em princípio, o término de seu relacionamento corporativo também resulta no término de seu vínculo empregatício, a menos que se aplique uma proibição de cancelamento ou outros acordos.

Ao contrário de um diretor estatutário, um diretor titular é apenas um funcionário. Isso significa que as regras de demissão "normais" se aplicam a ele e, portanto, ele goza de melhor proteção contra uma demissão do que um diretor estatutário. As razões pelas quais o empregador deve proceder com a demissão são, no caso do diretor titular, testadas previamente. Quando uma empresa deseja demitir um diretor titular, as seguintes situações são possíveis:

  • demissão por consentimento mútuo
  • demissão por uma autorização de dispensa da UWV
  • demissão imediata
  • demissão pelo tribunal subdistrital

Oposição contra a demissão

Se uma empresa não tiver motivos razoáveis ​​para uma demissão, o diretor estatutário poderá exigir uma alta remuneração justa, mas, diferentemente do diretor titular, não poderá exigir a restauração do contrato de trabalho. Além disso, assim como um funcionário comum, o diretor estatutário tem direito a um pagamento de transição. Em vista de sua posição especial e contrária à posição do diretor titular, o diretor estatutário pode se opor à decisão de demissão por motivos formais e substantivos.

Os fundamentos substantivos dizem respeito à razoabilidade da rejeição. O diretor pode argumentar que a decisão de demissão deve ser anulada por quebra de razoabilidade e justiça, tendo em vista o que é legalmente estipulado sobre a rescisão de um contrato de trabalho e o que as partes concordaram. No entanto, esse argumento de um diretor estatutário raramente leva ao sucesso. Um apelo a um possível defeito formal da decisão de demissão costuma ter uma chance maior de sucesso.

Os motivos formais dizem respeito ao processo de tomada de decisão na Assembléia Geral. Se as regras formais não forem seguidas, um erro formal pode levar ao cancelamento ou anulação da decisão da Assembléia Geral. Como resultado, pode-se considerar que o diretor estatutário nunca foi demitido e a empresa pode ser confrontada com uma reivindicação salarial substancial. Para evitar isso, é importante que os requisitos formais da decisão de demissão sejam cumpridos.

At Law & More, entendemos que a demissão de um diretor pode ter um grande impacto na empresa e no próprio diretor. É por isso que mantemos uma abordagem pessoal e eficiente. Nossos advogados são especialistas no campo do direito trabalhista e societário e, portanto, podem fornecer suporte jurídico durante esse processo. Você gostaria disso? Ou você tem outras perguntas? Entre em contato Law & More.

Partilhar