Em certas circunstâncias, a rescisão do contrato de trabalho ou demissão é desejável. Este pode ser o caso se ambas as partes considerarem a renúncia e concluírem um acordo de rescisão a esse respeito. Você pode ler mais sobre a rescisão por consentimento mútuo e o acordo de rescisão em nosso site: Dismissal.site. Além disso, a rescisão do contrato de trabalho pode ser considerada desejável se apenas uma das partes exigir a renúncia. Por exemplo, o empregado pode sentir necessidade, por diversos motivos, de rescindir o contrato de trabalho contra a vontade da outra parte, o empregador. O trabalhador tem uma série de opções para isso: rescindir o contrato de trabalho por meio de notificação ou fazer com que seja rescindido através da apresentação de um pedido de dissolução ao tribunal. Em ambos os casos, porém, o funcionário deve ter em mente certos limites que o certo coloca nessas opções de demissão.

Renúncia

Rescisão do contrato de trabalho mediante notificação. A rescisão unilateral do contrato de trabalho também é chamada de rescisão por aviso prévio. O funcionário opta por este método de demissão? Em seguida, a lei prescreve um período de aviso legal que deve ser observado pelo funcionário. Independentemente da duração do contrato, esse prazo de notificação é geralmente de um mês para o funcionário. As partes estão autorizadas a desviar-se deste período de notificação no contrato de trabalho. Porém, caso o prazo a ser observado pelo empregado seja estendido, deve-se cuidar para que o prazo não ultrapasse o limite de seis meses. O funcionário observa o prazo acordado? Nesse caso, a rescisão ocorrerá no final do mês e o vínculo empregatício no último dia do mês civil. Caso o colaborador não cumpra o prazo estipulado, a rescisão por notificação é irregular ou, por outras palavras, responsável. Nesse caso, o aviso de rescisão por parte do trabalhador porá termo ao contrato de trabalho. No entanto, o empregador não deve mais salários e o empregado pode ter uma compensação. Essa compensação geralmente consiste em um montante igual ao salário da parte do período de aviso prévio que não foi observada.

Ter o contrato de trabalho rescindido pelo tribunal. Para além de rescindir o contrato de trabalho mediante notificação, o trabalhador tem sempre a opção de recorrer ao tribunal para a resolução do contrato de trabalho. Esta opção do funcionário é em particular uma alternativa para demissão imediata e não pode ser excluída contratualmente. O funcionário opta por este método de desligamento? Em seguida, ele deve fundamentar o pedido de dissolução por escrito e com razões imperiosas, conforme referido no artigo 7: 679 ou artigo 7: 685 parágrafo 2 do Código Civil Holandês. Razões urgentes são geralmente entendidas como significando (mudanças nas) circunstâncias que resultam em não se esperar que o funcionário permita que o contrato de trabalho continue. Essas circunstâncias são relevantes e o Tribunal Subdistrital atende ao pedido do funcionário? Nesse caso, o Tribunal Subdistrital poderá rescindir o contrato de trabalho imediatamente ou em data posterior, mas não com efeito retroativo. A causa urgente é devido à intenção ou culpa do empregador? Em seguida, o funcionário também pode reivindicar uma compensação.

Desistir verbalmente?

O empregado decidiu pedir demissão e rescindir o contrato de trabalho com seu empregador? Em seguida, isso geralmente ocorre por escrito, por meio de um aviso de rescisão ou demissão. Nessa carta, é costume indicar o nome do funcionário e do destinatário, bem como esse nome e quando o funcionário rescindir o seu contrato. Para evitar desentendimentos desnecessários com o empregador, é aconselhável que o empregado encerre a carta de rescisão ou demissão com o pedido de confirmação de recebimento e envie a carta por e-mail ou carta registrada.

No entanto, a resolução escrita da demissão não é obrigatória e muitas vezes serve para fins administrativos. Afinal, a rescisão é um ato jurídico sem forma e, portanto, também pode ser efetuada verbalmente. Assim, o trabalhador só pode informar verbalmente, durante uma conversa, o seu empregador da rescisão do contrato de trabalho e, consequentemente, do despedimento. No entanto, esse método de demissão tem uma série de desvantagens, como a incerteza sobre quando o período de aviso prévio começa. Além disso, não dá ao trabalhador licença para voltar posteriormente às suas declarações e, assim, evitar facilmente a demissão.

Obrigação de investigar para o empregador?

O funcionário pede demissão? A jurisprudência demonstrou que, nesse caso, o empregador não pode simplesmente ou muito rapidamente confiar que é isso que o empregado realmente deseja. Em geral, é necessário que as declarações ou conduta do funcionário demonstrem de forma clara e inequívoca sua intenção de despedir. Às vezes, é necessária uma investigação mais aprofundada por parte do empregador. Certamente, no caso de renúncia verbal do empregado, o empregador tem a obrigação de investigar, de acordo com o Supremo Tribunal holandês. Com base nos seguintes fatores, o empregador deve primeiro investigar se a demissão foi realmente a intenção de seu empregado:

  • O estado de espírito do funcionário
  • Até que ponto o funcionário percebe as consequências
  • O tempo que o funcionário teve que reconsiderar sua decisão

Ao responder à pergunta se o funcionário realmente queria encerrar o emprego, um padrão rígido é usado. Se, após uma investigação por parte do empregador, parecer que o despedimento não foi realmente ou realmente a intenção do empregado, então o empregador não pode, em princípio, opor-se ao empregado. Certamente não quando “retomar” o empregado não prejudica o empregador. Nesse caso, não se trata de despedimento ou rescisão do contrato de trabalho por parte do trabalhador.

Pontos de atenção em caso de demissão

O funcionário decidiu pedir demissão? Então, também é aconselhável prestar atenção aos seguintes pontos:

Período de férias. É possível que o funcionário ainda tenha muitos dias de férias disponíveis. O funcionário vai demiti-lo? Nesse caso, o trabalhador pode gozar os restantes dias de férias em consulta ou fazer com que sejam pagos na data do despedimento. O funcionário opta por tirar férias? Então o empregador deve concordar com isso. O empregador pode recusar as férias se houver boas razões para o fazer. Caso contrário, o funcionário receberá pelos dias de férias. O valor que vem em seu lugar pode ser encontrado na fatura final.

Benefícios O funcionário cujo contrato de trabalho foi rescindido dependerá logicamente da Lei do Seguro Desemprego para seu sustento. No entanto, o motivo e a forma como o contrato de trabalho foi rescindido irão influenciar a possibilidade de reclamar o subsídio de desemprego. Se o empregado se demitir, ele geralmente não tem direito ao seguro-desemprego.

Você é funcionário e quer se demitir? Então entre em contato Law & More. Em Law & More entendemos que o despedimento é uma das medidas de maior alcance no direito do trabalho e tem consequências de longo alcance. É por isso que temos uma abordagem pessoal e podemos avaliar sua situação e as possibilidades junto com você. Você também pode encontrar mais informações sobre demissão e nossos serviços em nosso site: Dismissal.site.

Partilhar